Essa história começa em Catanduva, vida simples e ao mesmo tempo riquíssima de amor e natureza. Aos 7 anos a vida me coloca em São Paulo, na cidade grande, mas numa rua pequena e numa casa minúscula, e me presenteia com amizades duradouras, elos que me mantiveram firme nas dificuldades, através do amor explicito das amigas/famílias/irmãs, que nos acolheram sem julgamentos. Vida simples com significado, que geraram boas lembranças, as dificuldades transformadas em bênçãos. Depois o encontro com o amor, em meio ao desafio do alcoolismo do pai, me deixou mais forte nos momentos mais difíceis. A contabilidade gerando independência financeira, a experiência de ser mãe, ainda que não planejada, mas no momento certo. A gangorra financeira, a separação e o recomeço, sempre com apoio das amigas/irmãs da infância. Recomeço de carreira junto com as inseguranças geradas pela  adolescência do filho e a doença do meu pai que se fez necessária para nossa reconciliação, antes da sua morte.  Com a expansão da carreira, vem também uma nova forma de enxergar o mundo e as relações, que me levam a tomar outra decisão: deixar o emprego e viver uma vida mais simples. Uma atitude corajosa. Sinto que naquele momento fui colocada à prova, para ver se realmente eu estava preparada para fazer a ruptura com o sistema. Passei no teste. A guiança me leva para caminhos que eu jamais pensei em percorrer, mas que não me assustam, aliás, esses caminhos me encantam. Não sei o que virá, só sei que serei guiada para fazer o que tiver que ser feito. A vida me apresentou a yoga, filosofia que me da base, conhecimento e muitos contatos do bem, me abrem portas nesse mundo de infinitas possibilidades, e me mantém saudável. A vida também me trouxe conhecimentos da psicologia e da espiritualidade ligados à ciência, dando sentido para viver a espiritualidade na prática. Tudo isso me impulsiona a sentir minha alma jovem, que reflete na juventude do corpo. A idade não me distancia dos mais jovens, ao contrário, me propicia trocas e parcerias. Sinto que quando há um propósito o ritmo acelera, pois a alma sabe que o corpo tem prazo de validade. Tudo passa rápido, as sincronicidades, os pequenos milagres diários acontecem para que a missão se realize. Isso me da força e vitalidade para facilitar e experimentar tudo o que tiver ou quiser acontecer. Eu só permito, colocando-me à disposição em tempo real, seja através da escrita, da fala, do gesto, da atitude, usando todas as ferramentas que me são oferecidas para fazer o melhor e o possível, para quando sair de cena, talvez deixar um legado. Sou grata. Namastê!